Good Contents Are Everywhere, But Here, We Deliver The Best of The Best.Please Hold on!
Rua Rural, 11 - Jardim Brasilia, Uberlândia - MG, 38401-410 (34) 3215-4056
Artigos, Notícias

O evangelista americano Billy Graham faleceu aos 99 anos nesta quarta-feira (21), na cidade de Montreat, no estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Conforme a Associação Evangelística Billy Graham, o evangelista estava em casa e morrei às 7h46 (por volta das 9h45, no horário de Brasília).

 

William Franklin “Billy” Graham Jr foi um dos ministros da Palavra mais influentes dos últimos tempos e que mais alcançou pessoas na história da pregação do Evangelho de Cristo. Durante sua trajetória, ao todo, ele chegou a pregar para cerca de 215 milhões de pessoas em mais de 400 cruzadas e outras atividades evangelísticas em mais de 185 localidades. Outros milhões de indivíduos também foram alcançados por meio de TV, internet e 34 livros.

“Eu tenho uma mensagem: que Jesus Cristo veio, Ele morreu em uma cruz, Ele ressuscitou, e Ele nos pediu para nos arrepender de nossos pecados e recebê-lo pela fé como Senhor e Salvador, e se o fizermos, nós temos perdão de todos dos nossos pecados”, disse Graham na cruzada final em junho de 2005 no Flushing Meadows Corona Park, em Nova York.

 

“Enquanto o principal foco de Graham era levar essa mensagem ao mundo, ele também forneceu conselhos espirituais aos presidentes, defendia a desagregação e era uma voz de esperança e orientação em tempos de julgamento”, relatou a Associação Evangelística Billy Graham em nota publicada no site. Segundo informou a associação, em 2001, Billy Graham consolou seu país e o mundo quando falou na National Cathedral, em Washington, após ataques terroristas em 11 de setembro. “Em três conferências globais realizadas em Amsterdã (1983, 1986, 2000), Graham reuniu cerca de 23 mil evangelistas de 208 países e territórios para treiná-los para levar a mensagem de Jesus Cristo em todo o mundo”, diz o texto.

 

Em 2013, aos 95 anos de idade, Graham entregou sua mensagem final por mais de 480 canais de televisão nos Estados Unidos e no Canadá. Com isso, ele conseguiu atrair mais de 26 mil igrejas para o projeto My Hope – sendo esse a maior ação de evangelismo feita por sua associação na América do Norte.

 

“Ao longo de sua vida, Graham foi fiel ao seu chamado, que será capturado na inscrição a ser colocada em sua lápide: Pregador do Evangelho do Senhor Jesus Cristo”, afirmou a Associação Evangelística Billy Graham.

 

Por Associação Evangelística Billy Graham

0

Artigos, Notícias

O evangelho é a mensagem do Deus santo a homens pecadores. É a mensagem do céu de luz aos que na terra estão mergulhados em trevas. É a mensagem que alcançou os perdidos, transformou-os e por eles é transmitida ao mundo. A evangelização é uma tarefa gloriosa que aos anjos não foi outorgada. É uma missão que somente à igreja foi confiada. Nenhuma entidade humana pode desempenhá-la. Nenhuma outra mensagem pode substitui-la. Ao mesmo tempo que é tarefa exclusiva da igreja é necessidade absoluta do mundo. A salvação só é possível por meio de Cristo, o conteúdo do evangelho.


Diante desses pressupostos, três verdades devem ser aqui enfatizadas:

Em primeiro lugar, a evangelização é uma tarefa imperativa. Há cinco mandamentos expressos para a pregação, o ensino e o testemunho do evangelho dados diretamente por Cristo. Essa ordem é dada em todos os evangelhos e também no livro de Atos. A grande comissão, dada pela autoridade máxima do universo, exige obediência imediata da igreja. Todo o universo ouve a voz de Cristo e obedece-a prontamente. A igreja não pode desafiar o soberano Senhor do universo nem desobedecer o seu mandato. Jesus comissionou seus discípulos a ir por todo o mundo, pregar o evangelho a toda a criatura, fazer discípulos de todas as nações, até aos confins da terra. Nosso papel não é questionar essa ordem nem mudar a mensagem. Cabe-nos obedecer e cumprir nossa missão prontamente, imediatamente e fielmente.

Em segundo lugar, a evangelização é uma tarefa intransferível. A ordem de levar a boa nova do evangelho a toda criatura em todas as nações não foi dada aos anjos, mas à igreja. Nenhuma outra instituição tem essa incumbência; nenhum outra agência humana tem essa competência; somente a igreja recebeu esse desiderato e tem essa autoridade. A igreja é o método de Deus para alcançar o mundo e não há outro. Se nos omitirmos, seremos tidos como culpados. Todo alcançado é um enviado. Todo crente é um missionário. Toda a igreja é uma agência evangelizadora. A igreja só tem duas opções: é um corpo missionário ou um campo missionário; evangeliza ou precisa ser evangelizada. Lamentavelmente, a vasta maioria daqueles que foram chamados pelo evangelho, calam a sua voz e não o proclamam. Acovardam-se e sonegam ao mundo a única mensagem que pode trazer esperança e salvação aos pecadores.

Em terceiro lugar, a evangelização é uma tarefa impostergável. A mensagem do evangelho não pode ser adiada. Hoje é o dia da salvação. Deixar para amanhã pode ser tarde demais. Não há tragédia maior do que o ímpio morrer na sua impiedade. Não há ingratidão mais profunda do que alguém que encontrou o pão da vida sonegar aos famintos essa boa nova. Não há insensibilidade maior do que alguém que foi perdoado e salvo pela graça, calar a sua voz e deixar perecer aqueles que estão indo para a condenação. A evangelização não é apenas a mensagem mais importante, mas também, é a mensagem mais urgente. Pregar o evangelho, portanto, não é uma opção, mas um mandamento. Não é uma responsabilidade para ser transferida para outrem, mas para ser cumprida sem detença por nós. Não é um trabalho que pode ser deixado para depois, mas uma obra a ser realizada hoje. Cristo morreu e comprou com o seu sangue aqueles que procedem de todas as etnias da terra e o nosso papel é ir a eles, enquanto é tempo, anunciando-lhes a salvação pela graça. Oh, que Deus levante a igreja e desperte seus membros, a fim de irmos por toda a parte, contando à nossa cidade, ao nosso Estado, à nossa nação e todas as nações da terra a melhor notícia, a notícia de que Cristo morreu pelos nossos pecados e ressuscitou para a nossa justificação. Que estejamos atentos à verdade insofismável de que a evangelização é missão da igreja e necessidade do mundo.

Por Rev. Hernandes Dias Lopes

0

Artigos, Editorial, Notícias
Em 2018 estamos engajados na consolidação dos nossos propósitos. Edificar a igreja através da oração e Palavra de Deus, evangelizar nossa Uberlândia e buscar aqueles que se afastaram da comunhão.

O Projeto Abel foi compartilhado pelo Pr. Lúcio de Oliveira com a liderança e com a própria igreja com o objetivo de encontrar irmãos e irmãs membros da igreja que se afastaram dos nossos cultos, reuniões, pequenos grupos e ministérios. Encontrar, dialogar e reaproximar estas pessoas da Quinta Igreja é o objetivo do Projeto Abel.

O Projeto Abel esta distribuído em 5 meses de trabalho e acontecerá nos dois semestres. Estamos orando, relacionando as pessoas que estão afastadas, visitando cada uma e convidando para uma celebração muito especial será celebrada no próximo mês de maio.

Como você pode participar?

O desafio é identificar irmãos e irmãs (membros) que deixaram a igreja, pequenos grupos ou ministérios, visitá-los, entender as causas do afastamento e ajudá-los no retorno, caso seja esta a vontade da pessoa.

Para saber mais informações ou colaborar com o Projeto Abel, entre em contato com nossos pastores e presbíteros.

Por Quinta Igreja Presbiteriana de Uberlândia 
0

Artigos, Notícias
Muitas vezes fazemos um propósito de mudança em nossa vida, ou temos um sonho prestes a ser realizado, mas diante das dificuldades e ameaças que se apresentam ao longo da caminhada, a grande tendência humana é desistir. Na realidade é mais fácil desistir do que enfrentar os desafios e lutar para alcançar a meta proposta. É preciso coragem e perseverança.

Neemias um judeu exilado, era copeiro do rei Artaxerxes e ocupava uma posição de grande privilégio e responsabilidade em seu trabalho. Ele recebeu notícias de que seus compatriotas, o povo judeu remanescente que permaneceu em Jerusalém, estava em grande miséria e desprezo, e os muros de Jerusalém estavam derrubados e as portas queimadas. Neemias se aflige em extremo, porque apesar de viver no conforto do palácio real, ele não podia ignorar a notícia recebida do sofrimento do seu povo. Alguém já disse que a política prática consiste em ignorar os fatos, mas a verdade é, que os fatos não deixam de existir só porque nós os ignoramos. Neemias não ignorou as notícias a respeito do seu povo, e decidiu em seu coração, que agiria e lutaria por eles. Neemias era um homem temente a Deus e cheio de compaixão e o texto bíblico diz que ele chorou, mas também jejuou e orou por muitos dias buscando a direção de Deus para executar os planos de ajudar o seu povo e reconstruir a cidade e os muros que estavam destruídos colocando em risco os seus moradores.

Enquanto ele orava, Deus foi aclarando as coisas ao coração de Neemias, que tinha diante de si grandes desafios. Teria que começar com a permissão do rei para que ele se ausentasse do palácio e que o nomeasse governador de Judá e ainda lhe desse autoridade para ir conduzir a grande obra de reconstrução dos muros. Como Neemias era um homem cheio de fé e temor de Deus, ele soube esperar no Senhor para o suprimento da grande obra que intentava realizar. Assim que chegou à cidade com sua comitiva, não demorou muito e os inimigos começaram a se opor à tarefa de reconstrução dos muros.

Ah se não fosse a dedicação e a determinação de Neemias e sua fé em Deus, fé essa que move as barreiras e põe abaixo os inimigos, ele jamais teria sido bem-sucedido em sua missão. Uma das declarações muito importante que Neemias fez, quando os inimigos os ameaçavam, e que deve mover nossos corações diante dos obstáculos em nossa caminhada, encontra-se no cap. 2: 18b: “E fortaleceram as mãos para a boa obra”. Houve investidas contra Neemias e os trabalhadores das mais diferentes maneiras: zombaria, insultos como: O que esse bando de judeus pobres e fracos pensam que vão fazer? Acham que podem reconstruir o muro em um dia, se oferecerem muitos sacrifícios ao Deus deles”? Dessa e de outras formas tentavam incutir o desânimo no coração deles para tentar impedir a reconstrução dos muros.

As atitudes de Neemias muito nos ensinam. O muro fora reconstruído em 52 dias porque ele não se rendeu às ameaças constantes e trazia sempre encorajamento e ânimo aos reconstrutores. Uma das grandes ameaças além dos insultos e mentiras foi o medo que queriam infligir no seu coração e no dos seus homens. O medo destrói a fé e paralisa a vida de uma pessoa, ele é uma arma diabólica! O presidente Roosevelt em seu primeiro discurso de posse à nação assolada pela depressão econômica foi: “A única coisa que temos a temer é o próprio medo”. Seja forte na força que vem de Deus e jamais renda-se às ameaças do adversário!

Por Rev. Osni Ferreira
0

Artigos, Notícias

“Vós que amais o Senhor, detestai o mal…” (Sl 97.10a).

Neste mundo assaz conturbado precisamos pedir a Deus discernimento e coragem. Discernimento para saber a hora certa de falar e a hora precisa de calar e coragem para não se calar na hora que o silêncio é sinal de covardia. Duas coisas nos perturbam: o barulho dos ímpios e o silêncio dos piedosos. Pior do que o barulho dos ímpios é o silêncio covarde dos piedosos. Aqueles que são chamados para amar o Senhor, devem na mesma proporção, detestar o mal. O mal não pode erguer sua fronte altiva sem ser confrontado. O mal não pode desfilar na passarela do tempo sem ser detestado. Calar-se diante do mal é ser não apenas covarde, mas também conivente. O apóstolo Paulo, nessa mesma toada, escreve: “Detestai o mal, apegando-vos ao bem” (Rm 12.9).

Mas o que é o mal? É tudo aquilo que afronta a santidade de Deus, conspira contra os princípios morais e espirituais estabelecidos por Deus e tem o propósito de corromper os relacionamentos instituídos por Deus e balizados pela palavra de Deus. O mal se infiltra nas estruturas políticas e econômicas. O mal destila seu veneno nas redes sociais e no cinema. O mal mostra sua carranca nas ruas, no guetos, nos palácios e nas choupanas. O combustível que alimenta o mal é o pecado. O pecado é o pior de todos os males, pois nos priva do maior bem. O pecado nos afasta de Deus, do próximo e de nós mesmos. O pecado é maligníssimo. Seu salário é a morte.

O mal está dentro de nós e fora de nós. Está em nosso coração e em nossas palavras. Está em nossas ações, reações e omissões. Está no governo e no povo. Está na imprensa e na literatura. Está na televisão e no teatro. Está nas relações internacionais e nos acordos econômicos. Está na academia e nas cortes. Está na igreja e na família. Está na cidade e no campo. O mal é o bafo do diabo, o refluxo do pecado, o produto da rebelião contra Deus.

O mal tem um arsenal muito diversificado. Sua indumentária é variada. Apresenta-se sob o manto da tolerância, mas abespinha-se com qualquer pessoa que ousa discordar de sua cosmovisão. Usa a máscara do respeito aos direitos do outro, mas apenas quando o outro se curva aos seus rasteiros interesses. É nessa sociedade que se diz plural, mas exige subserviência à ditadura do relativismo que somos chamados a amar o Senhor e a detestar o mal. É nesse mundo caído, rebelado contra Deus, que somos convocados a não nos conformarmos com este século, mas a sermos transformados pela renovação da nossa mente. É nesse ambiente hostil à fé cristã, que somos chamados a sair para fora dos portões da religiosidade, para nos encontrarmos com o Cristo vivo, na escola, na empresa, na família, na rua, levando o vitupério de Cristo. O mundo odiou Cristo e também vai nos odiar. Ser cristão é viver os valores no céu numa terra manchada pelo pecado. Ser cristão é andar na luz num mundo de trevas. Ser cristão é praticar o bem num ambiente governando pelo mal. Ser cristão é andar na verdade num mundo rendido à mentira. Ser cristão é viver em santidade num mundo que se refestela no pecado. O mal sempre vai se insurgir contra Deus e desferir golpes violentos contra seu povo. O povo de Deus, porém, não pode ser vencido pelo mal, mas deve vencer o mal com o bem. O povo Deus não pode acovardar-se diante da arrogância do mal, mas deve erguer sua voz em defesa do bem. O barulho dos ímpios não pode silenciar os piedosos!

Por Rev. Hernandes Dias Lopes

0

Artigos, Notícias

“Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.” Atos 5.29

Muray Rothebard em seu celebre livro ‘’Anatomia do Estado explica o que o Estado é e o que ele não é. Ele demonstra como o Estado nada mais é do que uma instituição que muitas vezes viola aquilo que consideramos honesto e moral, agindo sob uma falsa aura de bondade e preocupação com o cidadão. Ele diz: O Estado pode predatoriamente devastar a liberdade, destruir a civilização, ameaçar a vida, a propriedade privada, e o bem-estar social das pessoas’’. Sim, estamos vivendo no Brasil uma relação perigosa entre o Estado e o politicamente correto. Uma espécie de ditadura sem rosto.

São muitos os casos em que o Ministério Público de vários Estados tem perseguido sistematicamente a religião cristã em pró das agendas governadas pelas minorias. Sabemos que o Estado se pronuncia laico e garante a todos o direito a liberdade de culto e de expressar livremente posições religiosas. No entanto não é o que está acontecendo.

Ministério Público do Trabalho de São Paulo mandou nesta sexta-feira (22) a rede Hirota Food Supermercados suspender a distribuição de ‘’cartilha que condena gays, o aborto e o sexo antes ou fora do casamento’’. O órgão informa que tomará medidas judiciais caso a empresa descumpra o pedido.
A Promotoria considerou “discriminatório” o conteúdo da ‘’cartilha “Cada Dia Especial Família de 2017. A notificação enviada pelo MP ao supermercado também exige que as ‘’cartilhas’’ já distribuídas sejam retiradas de circulação e que a empresa deixe de produzir conteúdo desse tipo e o divulgar em suas lojas, site ou redes sociais.

O que está bem claro é que foi uma denuncia com teor sofista que distorce o sentido da devocional para uma cartilha que o MP chama de cartilha discriminatória. Parece um ataque de grupos ativistas pró movimento LGBS. É preciso buscar essas informações e sabe quem de fato foi o denunciante.

Em nota o Rev. Hernandes Dias Lopes rebate a polêmica:


Em nota a ANAJURE sai em defesa da liberdade cristã e da devocional de Henandes Dias Lopes:


Esse tipo de perseguição do Estado deve ser combatido com força. Não somente usar os meios de comunicações, mas também será preciso ações judiciais que possam garantir o direito de se expressar religiosamente. Se a cristandade ficar na inércia, o futuro será os guetos. Não podemos admitir este acinte.

A G1 publicou o caso, mas os comentários dos seus leitores revelam o estado que se Encontra o Estado.


Repudiamos quaisquer restrições as liberdades religiosas neste país como garante nossa constituição:

Constituição Federal de 1988

”Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

VI – e inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;”

Sola Scriptura

Heuring Felix Motta
Colunista da Revista Visão Cristã

Referências

1-https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/mp-manda-supermercado-de-sp-suspender-cartilha-que-condena-gays-aborto-e-sexo-fora-do-casamento.ghtml
2- Anajure
3-https://www.facebook.com/hernandes.diaslopes.7

Fonte: Visão Cristã

0

Artigos, Edificação, Notícias

Geralmente quando uma pessoa vai ao médico apresentando sintomas de uma doença, o profissional pede exames dos mais simples aos mais caros e sofisticados que irão ajudar a detectar e confirmar ou não o problema. As radiografias por exemplo, são feitas através de raios que atravessam o corpo humano e fotografam o seu interior localizando onde está a doença.

 

O apóstolo João no livro do Apocalipse, recebeu uma visão ou revelação de Deus, quando estava na Ilha de Patmos,  e ele escreveu o que recebeu do Senhor, por meio de cartas às 7 Igrejas da Ásia Menor. João, podemos dizer, que fez uma “radiografia” ou seja, descreveu a realidade espiritual de cada uma daquelas igrejas, de acordo com o que Deus lhe revelou pelo Espírito.

 

Jesus, aquele que sonda mentes e corações, continua advertindo sua igreja hoje, a fim de que se santifique, que volte ao primeiro amor para aguardar Aquele que vem sem demora. A Igreja de nossos dias tem sido assolada por alguns males, que estão tentando enfraquecê-la, desviá-la de sua verdadeira essência e missão que Jesus claramente estabeleceu na Palavra. Há algumas “doenças” que precisam ser curadas e removidas da vida de muitos que já confessaram o senhorio de Cristo. Jesus quer que sua igreja seja encorajada e curada, pois Ele conhece a cada um de nós, de acordo com o que fazemos ou temos deixado de fazer como Igreja de Cristo. Que diagnóstico Ele tem feito de Sua igreja hoje? O que o Senhor diz ao nosso respeito quando vivemos o nosso dia a dia, no nosso lar, onde trabalhamos, onde estamos inseridos na sociedade?

 

Numa mesma Igreja podemos encontrar gente cheia do Espírito e gente vazia de Deus. Aqueles que querem apenas impressionar, mas também aqueles que servem de todo coração.  A frieza espiritual, que podemos definir como indiferença para com as coisas de Deus, tem roubado o verdadeiro significado da vida cristã de muitos filhos e filhas de Deus. A caminhada do dia a dia num mundo tão conturbado, cheio de atrativos e apelos carnais, sob vários aspectos, tem gerado desmotivação na vida de muitos em relação às coisas espirituais.  Criou-se uma mentalidade religiosa no coração de muitas pessoas, de modo que a vida de intimidade com Deus tem sido negligenciada, ou se tornado algo superficial e automático. Quantos apenas frequentam um culto semanal e parecem estar satisfeitos espiritualmente. Não há tempo para oração, meditação, estar a sós com Deus, participar de uma célula, ou evangelizar o amigo de trabalho ou dar atenção ao vizinho que está passando por necessidade.  Tudo que desejamos como Corpo de Cristo, é que possamos entender e discernir, que a vida cristã é muito mais profunda do que determinadas práticas.

 

O apego às coisas materiais, o intelectualismo, a autossuficiência, o bem-estar social, o comodismo, o egoísmo e tantos outros ismos vão gerando uma frieza espiritual, que por sua vez, vai levando o cristão ao afastamento da comunhão de intimidade com o Senhor. É muito triste perceber que muitas vezes, por motivos pequenos e até banais, um esfriamento espiritual vai sendo gerado no coração do crente e ele/ela nem sente que está se distanciando do que há de mais precioso, o cultivar e viver em relacionamento de amor com o Pai, de conhecer e servir a Deus, de ser cheio do Espírito Santo, ter prazer na vida de oração, na comunhão com os irmãos nos cultos, liderar e participar de uma célula, compartilhar o amor de Deus, se alegrar no Senhor. Enfim, não perder o foco e a essência do que é a verdadeira vida cristã.

 

O alerta da Palavra de Deus para sua Igreja é: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te… arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; ” (Ap 2: 4,5a). Esse amor sobre o qual o apóstolo João chama nossa atenção, consiste em amar a Deus sobre todas as coisas. É um amor como um fogo de grande intensidade, no íntimo dos nossos corações, que coloca Jesus como real prioridade acima de tudo e de todos. É um amor quase inexplicável em que podemos chamá-lo Aba, Pai, que quer dizer papai, “…pois recebestes o espírito de adoção, baseados no qual clamamos Aba, Pai” (Rm 8:15). Não é um amor proveniente apenas do conhecimento intelectual, ou  distante, mas algo a ser vivenciado, pois o cristão é parte dessa grande família cujo Pai é amor, pois Deus é amor. Que possamos abrir mão de tudo, quem sabe até de maneira sacrificial, para que o amor de Deus revelado em Cristo Jesus, seja visto em nossas vidas por meio do que somos e fazemos em nosso cotidiano. Madame Guyon escreveu: “É impossível amar a Deus sem amar a cruz… Deus nos dá a cruz e a cruz nos dá Deus”.

Por Rev. Osni Ferreira – Igreja Presb. Central de Londrina

0

Artigos, Notícias, Pequeno Grupo, Pr. Rodrigo

O ano de 2017 foi muito positivo para os Pequenos Grupos. Com mais de 70 (setenta) células funcionando e aproximadamente 650 pessoas integradas, mais bairros de Uberlândia estão sendo alcançados e abençoados com a presença das reuniões semanais que anunciam as boas novas de Jesus.

No próximo domingo, às 11H, teremos nossa última reunião de Pequenos Grupos da Quinta Igreja. Teremos um tempo de gratidão e celebração por cada supervisão, lideres, anfitriões e membros dos PG’s. A reunião será de 1h, com louvores e muita gratidão por cada conquista. Haverá também um delicioso almoço com churrasco gratuito para todos, lembrando que cada família deverá levar um prato especial e bebidas para nossa confraternização especial.

Esperamos por todos, vamos concluir o 2017 dos Pequenos Grupos com muita festa e celebração.

Por Pr. Rodrigo
0

Artigos, Edificação, Notícias

1. O evangelho de Deus é supracultural e transtemporal. Suficiente para comunicar a verdade de Deus a todo homem, em todas as culturas, em todos os tempos e em todas as organizações sociais, seja uma aldeia remota ou uma megacidade (Mt 24.14; Jo 3.16; At 1.8).

2. O evangelho não é apenas a verdade, mas também o poder de Deus. A mensagem bíblica é profundamente confrontadora e transformadora, atingindo e transformando o homem em todos os níveis de sua existência, inclusive o cultural (Rm 1.20; At 17.18-32; At 8. 12-23; Gl 1.16).

3. O evangelho começa em Deus e fala sobre a sua salvação. O evangelho não é a mensagem da igreja sobre Deus, mas de Deus sobre a salvação da igreja. A mensagem do evangelho não é a igreja e seus feitos, mas Jesus Cristo, sua morte e ressurreição (Rm 1.1-2, 16 e 15.16; Ef 2.14-22).

4. O pecado nos separa de Deus. O homem, em pecado, está distanciado de Deus e totalmente carente de sua graça e salvação. O evangelho convida o homem a compreender que está perdido e arrepender-se dos seus pecados (Gn 2.17; Is 59.2; Rm 1).

5. A igreja é a comunidade dos redimidos, originada em Deus e pertencente a Deus. Não foi formada para agradar aos desejos e preferências de homens, mas para agradar e obedecer a Deus (1Co 1.1-2; Ef 4.11).

6. A igreja não é uma comunidade alienante. Aqueles que foram redimidos por Cristo continuam sendo homens e mulheres, pais e filhos, fazendeiros e comerciantes que respiram e levam o evangelho onde estão (1 Co 6.12-20).

7. A igreja é uma comunidade sem fronteiras, portanto fatalmente missionária. É chamada a proclamar Jesus perto e longe, em todos os lugares e prioritariamente entre os que pouco ou nada ouviram do evangelho (Mt 28.18-20; Rm 15.20).

8. A vida da igreja, quando obediente às Escrituras, é um grande testemunho para o mundo perdido. É necessário, portanto, que viva aquilo que prega, que demonstre no dia-a-dia aquilo que confessa nos cultos públicos (Jo 14.26; 16.13-15).

9. A primeira missão da Igreja não é proclamar, mas morrer. Somente morrendo para nossos pecados e desejos viveremos para Cristo e seu Reino (Gl 2.20; 1Pe 2.9).

10. A missão maior da igreja é glorificar a Deus. Nessa caminhada é preciso que a igreja se desglorifique para de fato glorificar ao Senhor (Sl 108.5; Fp 1.11; Rm 16. 25-27).

Por Ronaldo Lidório

Fonte: Ronaldo Lidório

0

Artigos, Notícias, Pr. Rodrigo
Nunca deveríamos passar uma ideia medíocre, pobre e falsa que somos abençoados, salvos, prósperos e estamos a caminho do céu e que não temos mais nenhum outro propósito nesta terra. Deus têm um propósito para cada pessoa, todos foram chamados para realizar algo especifico com a vida que recebeu. Se Deus não chamou você para ser pastor, ele pode ter separado você para ser médico, advogado, motorista, etc. Fato é que você foi separado para realizar algo e deverá fazer isto da melhor maneira possível.

Como você vêm usando a oportunidade que Deus te deu? Estar vivo é uma coisa, saber o por que de estar vivo possui a mesma importância. Por isto valorizamos a nossa identidade e o propósito de Deus em nossas vidas. Entenda quem você é e qual é o objetivo da sua vida.

Para o cristão que exerce influência (líder) sobre outras pessoas é fundamental caminhar em concordância com o propósito de Deus na sua vida. Suas palavras, escolhas, posicionamentos e posturas sempre serão fruto do conhecimento sobre quem você é qual é a sua missão. O resultado de caminhar de acordo com o propósito de Deus são os frutos que colhemos. Crescemos, nosso Pequeno Grupo cresce, a igreja cresce e o Reino de Deus cresce também.

Escolha viver corretamente, escolha ouvir e seguir a voz de Deus e você fará toda diferença onde Deus plantar você.

Pr. Rodrigo Ferreira

0

PREVIOUS POSTSPage 1 of 7NO NEW POSTS